1ª Etapa – Internet das Coisas

 

A Internet das Coisas (IoT) vem sendo, hoje, um dos temas mais amplos no campo da pesquisa. O conceito nos apresenta as mais variadas automações, principalmente, residenciais e comerciais. Ao passo que os objetos de um ambiente comercial ficam automatizados, os objetos de uma residência também podem ser automatizados da mesma forma. Através de uma rede, tudo pode se conectar e os usuários passam a ter controle de seus dispositivos, tanto para comandá-los quanto para adquirir informações de sensores. A variedade de sensores também é ampla e nos proporcionam a possibilidade de desenvolvermos ferramentas capazes de verificar, por exemplo, a temperatura, umidade e luminosidade de um ambiente.

Em 2016, a primeira prova da 4ª Olimpíada de Robótica Educativa Livre terá como tema a Internet das Coisas. Para isso, os alunos terão como tarefa desenvolver uma maquete com automação via software. Visto que a automação dá à sociedade uma infinidade de opções criativas e variadas, os alunos terão a opção de desenvolver mais detalhes. Dentre exemplos disso, os alunos poderão, juntamente com a casa automatizada, implementar ruas, postes e objetos em torno da casa (automação principal).
Para a realização da prova as equipes receberão os componentes listados abaixo, sendo imprescindível o uso de todos. Qualquer novo dispositivo a ser usado deverá ser de responsabilidade de cada equipe.

Materiais disponibilizados:

  • 1 Servo motor

  • 5 LEDs

  • 1 Arduino UNO

  • 1 Sensor de luminosidade – LDR

  • 1 Buzzer sonoro

 

    Tamanho da maquete: 100cm x 50cm

 

Toda a automação deverá ser realizada remotamente através de um software desenvolvido pelas equipes, utilizando a plataforma S4A (Scratch for Arduino).

Os critérios utilizados pelos avaliadores estão descritos abaixo e devem ser seguidos pelas equipes.

  • Funcionalidade (tudo está funcionando perfeitamente?)

  • Acabamento (O trabalho foi feito levando em conta detalhes?)

  • Software (Software ficou eficiente e é amigável?)

  • Eletrônica (Os componentes ficaram organizados?)

  • Criatividade (Os alunos inovaram nas ideias?)

 

Como forma de avaliação, as equipes deverão, no dia 10 de setembro de 2016, apresentar sua solução no saguão do prédio B5, na Universidade de Passo Fundo.  Ao final, vencerá a solução que, de acordo com os avaliadores, melhor cumpriu as exigências da prova.